33.1 C
Piauí
21 de junho de 2021
Cidades em Foco
Educação Geral Pernambuco em Foco

Secretarias municipais de educação podem fazer autodiagnóstico da rede de ensino

Computador - Foto: divulgação UFPI

Programa Melhoria da Educação também oferece tecnologias educacionais e guias de boas práticas de gestão para dirigentes e equipes técnicas

Os dirigentes municipais de educação podem realizar um autodiagnóstico da gestão rede de ensino, voltado a identificar oportunidades de melhoria do acesso, permanência e aprendizagem na educação básica. O instrumento está inserido no programa Melhoria da Educação, realizado pelo Itaú Social, que também oferece tecnologias educacionais e guias de boas práticas de gestão para secretarias de educação.

O uso do autodiagnóstico é gratuito, autônomo, autodeclaratório e está disponível no site www.melhoriadaeducacao.org.br. Apenas o respondente tem acesso às informações colocadas e aos resultados obtidos. Nele, é possível avaliar quatro dimensões: gestão dos resultados educacionais; gestão pedagógica; planejamento e gestão administrativa; e participação, ações colaborativas e controle social.

“No início do ciclo de uma gestão municipal, o autodiagnóstico pode ser um exercício útil de preparação do planejamento estratégico. Ele foi construído a partir de diálogos com gestores educacionais e parceiros técnicos, além de análises a partir do conhecimento acadêmico já construído”, explica a gerente de Implementação do Itaú Social, Tatiana Bello. Ao final do processo de preenchimento do autodiagnóstico, o dirigente municipal poderá conferir as classificações por níveis e os resultados da sua rede.

Em Suzano (SP), a equipe da secretaria municipal realizou o autodiagnóstico nas quatro dimensões. Para a pedagoga e supervisora de projetos especiais na Prefeitura, Rafaela Rodrigues, a ferramenta permitiu identificar vários pontos de deficiência. “Nos ofereceu subsídios para a discussão e aprofundamento dos nossos problemas. Percebemos a necessidade de elaborar um planejamento estratégico que suprisse essas deficiências, estabelecendo prioridades em nossa gestão nos próximos quatro anos”, explica.

Tecnologias educacionais

Uma das principais estratégias do programa Melhoria da Educação, iniciativa do Itaú Social, é a criação e disponibilização de tecnologias educacionais para as secretarias municipais. As tecnologias são metodologias testadas e aprovadas por secretarias municipais de todo o país, que podem ser replicadas de forma autônoma e com possibilidade de adaptá-las para responder contextos variados.

Entre as tecnologias disponíveis, a indicada para iniciar os processos de melhoria da qualidade do ensino é o Planejamento Estratégico. A sua implementação depende do envolvimento das equipes de todos os setores da secretaria de educação – pedagógico, administrativo e infraestrutura – para que elejam as prioridades e definam metas possíveis de serem alcançadas durante a gestão do município.

Também já é possível acessar a tecnologia “Gestão de pessoas e de recursos”, que aborda como identificar as receitas disponíveis, analisar o custo aluno ano em cada etapa e modalidade oferecida, visualizar a fração da folha de pagamento nestes custos e as alternativas possíveis, tanto para otimizar a gestão de recursos quanto para valorizar os profissionais.

Ainda neste semestre, o Itaú Social incluirá mais duas tecnologias educacionais, que tratarão sobre gestão da educação para a equidade racial e gestão inclusiva para pessoas com deficiência.

Guias de boas práticas

Os cadernos Práticas para uma boa gestão orientam dirigentes municipais e equipes técnicas no início da gestão das secretarias de educação. O material foi organizado em quatro eixos prioritários, visando: a escolha da equipe, o reconhecimento do funcionamento da pasta, preparação do início do ano letivo e a necessidade de contar com um plano estratégico.

O programa

O Melhoria da Educação nasceu em 1999, com o propósito de desenvolver ações de formação e qualificação técnica de gestores e gestoras municipais de educação e suas equipes para contribuir com o planejamento, formulação, implementação e acompanhamento da política educacional.

Sua atuação se dá por meio da implementação de tecnologias educacionais, cursos, encontros formativos e assessorias técnicas. Somente em 2020, a iniciativa esteve presente em 695 secretarias municipais, com a participação de 9.078 gestores e três milhões de estudantes beneficiados. Em 2021, o Itaú Social está selecionando, por meio de edital, os municípios e iniciativas de colaboração que contarão com a assessoria direta do programa até 2024.

Da redação

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais