33.2 C
Piauí
14 de maio de 2021
Cidades em Foco
Geral Internacional

Senador Ciro Nogueira desqualifica o trabalho do ex-ministro da Saúde Mandetta

Senador Ciro Nogueira

O senador Ciro Nogueira (PP-PI), integrante da  CPI da Pandemia, afirmou nesta terça-feira (4) que a demissão do ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta interrompeu uma ‘gestão muito errada’ no início da crise sanitária no país.

“Não tenho dúvida, [a demissão] interrompeu uma gestão que estava muito errada. Tiro como exemplo meu estado. Naquela época, você chegava no Mandetta – eu tive várias audiências com ele – e nada era feito para levar uma saúde de qualidade aos estados”, disse Nogueira, em entrevista à CNN.

“O Mandetta era bom só de conversa. Eu espero que ele explique porque preferiu ficar mais tempo na mídia do que gerindo a saúde pública do nosso país”, continuou.

O senador afirmou que o período de Mandetta à frente da pasta foi pouco efetivo no sentido de levar equipamentos e logística aos estados. “Mandetta é um dos melhores comunicadores que temos hoje no país. É um homem que preferiu, em vez de gerenciar o Ministério da Saúde, passar o tempo inteiro naquela bancada dando entrevista.”

O senador disse ainda considerar estranho o fato de que Mandetta e o também ex-ministro da Saúde Nelson Teich dividirão esse primeiro dia de oitivas enquanto Eduardo Pazuello  – que foi quem comandou a pasta por mais tempo ao longo da pandemia – terá um dia dedicado apenas a ele.

“Se tiver que dar um conselho ao ministro Pazuello é que ele venha com a verdade, para esclarecer os fatos. Tem que ser tratado com muito respeito – só o fato de terem colocado só ele em um dia é uma coisa estranha, né”, afirmou.

“Os outros foram dois por dia e ele não, [o que] já demonstra que a CPI tem um foco de tentar desgastar o atual governo. Mas espero que os homens públicos envolvidos tenham consciência que a população acompanha com muita atenção esse momento.”

O senador também criticou o momento de realização da pandemia e afirmou que os políticos deveriam estar focados em “tratar a população” e ajudar na imunização dos brasileiros.

“Não sou contra a CPI, mas contra o momento em que ela está sendo instalada. Nenhum país está fazendo uma CPI no auge [de mortes e infecções]. A Itália, por exemplo, está fazendo agora, um ano depois de enfrentar seu pico”, disse Nogueira.

“Acho que a CPI nesse momento é um erro histórico. É como se fossemos decidir o vencedor no meio da guerra, quem é o mocinho da novela no meio da novela. Mas a grande maioria dos políticos tomou essa atitute de buscar a guerra política em vez de tratar da população.”

O senador disse ainda considerar estranho o fato de que Mandetta e o também ex-ministro da Saúde Nelson Teich dividirão esse primeiro dia de oitivas enquanto Eduardo Pazuello – que foi quem comandou a pasta por mais tempo ao longo da pandemia – terá um dia dedicado apenas a ele.

“Se tiver que dar um conselho ao ministro Pazuello é que ele venha com a verdade, para esclarecer os fatos. Tem que ser tratado com muito respeito – só o fato de terem colocado só ele em um dia é uma coisa estranha, né”, afirmou.

Fonte/Créditos:CNN Brasil

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais