23.2 C
Piauí
17 de junho de 2019
Cidades em Foco
Geral Pernambuco em Foco

Sertão de PE tem manifestações contra o bloqueio de verbas para educação

No Sertão de Pernambuco, manifestações foram realizadas na manhã desta quarta-feira contra o bloqueio de recursos para educação, anunciado pelo Ministério da Educação (MEC). Em Petrolina, a mobilização começou às 8h30, na tenda cultural da Avenida Souza Filho, no centro da cidade. A manifestação faz parte de um ato nacional.

O ato reuniu centrais sindicais, servidores, professores e estudantes de universidades e de escolas de Petrolina. Com a ajuda de um som de trio elétrico, os participantes defenderam a educação pública e criticaram a reforma da previdência.

De acordo com a Polícia Rodoviária Federal (PRF), os manifestantes saíram em caminhada às 11h30 em direção a Ponte Presidente Dutra, que faz divisa com Juazeiro, na Bahia. Eles fecharam uma das vias. A ponte foi liberada às 12h30. O número de manifestantes no protesto não foi informado pelos organizadores. A Polícia Militar também não divulgou estimativa de participantes.

No município de Terra Nova, alunos e professores da rede municipal participaram de uma manifestação contra o bloqueio na educação. Eles levaram cartazes e faixas e caminharam pelas ruas do centro da cidade.

Manifestação no município de Terra Nova contou com adesão de estudantes e professores — Foto: Vaneilson Gomes/ Arquivo pessoal

Manifestação no município de Terra Nova contou com adesão de estudantes e professores — Foto: Vaneilson Gomes/ Arquivo pessoal

Em Serrita, também no Sertão pernambucano, estudantes e a comunidade organizaram um protesto contra a reforma da previdência e os bloqueios de verba na educação na manhã desta quarta-feira (15). De acordo com a organização, 150 pessoas participaram do ato.

Durante a tarde, manifestantes se reuniram no município de Salgueiro. O ato começou por volta das 16h, com concentração na Praça da Bomba. Estiveram presentes, professores, técnicos administrativos do IF Sertão-PE, campus Salgueiro, e estudantes da cidade. Segundo os organizadores, cerca de mil pessoas participaram do protesto.

Salgueiro (PE) tem protesto contra bloqueios na educação. — Foto:  Debora Garcia de Figueredo / Arquivo pessoal

Salgueiro (PE) tem protesto contra bloqueios na educação. — Foto: Debora Garcia de Figueredo / Arquivo pessoal

Em abril, o Ministério da Educação divulgou que todas as universidades e institutos federais teriam bloqueio de recursos. Em maio, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) informou sobre a suspensão da concessão de bolsas de mestrado e doutorado.

Estudantes e a comunidade protestam contra reforma da previdência e bloqueio de verbas em Serrita — Foto: Cícero Flávio Ribeiro/ Arquivo pessoal

Estudantes e a comunidade protestam contra reforma da previdência e bloqueio de verbas em Serrita — Foto: Cícero Flávio Ribeiro/ Arquivo pessoal

De acordo com o Ministério da Educação, o bloqueio é de 24,84% das chamadas despesas discricionárias — aquelas consideradas não obrigatórias, que incluem gastos como contas de água, luz, compra de material básico, contratação de terceirizados e realização de pesquisas. O valor total contingenciado, considerando todas as universidades, é de R$ 1,7 bilhão, ou 3,43% do orçamento completo — incluindo despesas obrigatórias.

Em 2019, as verbas discricionárias representam 13,83% do orçamento total das universidades. Os 86,17% restantes são as chamadas verbas obrigatórias, que não deverão ser afetadas. Elas correspondem, por exemplo, aos pagamentos de salários de professores, funcionários e das aposentadorias e pensões.

Alunos de universidades protestam na Tenda Cultural em Petrolina  — Foto: Paulo Ricardo Sobral/ TV Grande Rio

Alunos de universidades protestam na Tenda Cultural em Petrolina — Foto: Paulo Ricardo Sobral/ TV Grande Rio

Segundo o governo federal, a queda na arrecadação obrigou a contenção de recursos. O bloqueio poderá ser reavaliado posteriormente caso a arrecadação volte a subir. O contigenciamento, apenas com despesas não obrigatórias, é um mecanismo para retardar ou deixar de executar parte da peça orçamentária devido à insuficiência de receitas e já ocorreu em outros governos.

Fonte: G1

Notícias relacionadas

Netflix confirma: ‘La Casa de Papel’ terá 3ª temporada em 2019

Junior Oliveira

Empresário reinaugura loja do Frigotil com estrutura moderna em Jacobina; Veja fotos!

Junior Oliveira

Gasolina sobe pela quarta semana seguida e bate novo recorde

Junior Oliveira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais