31.5 C
Piauí
19 de abril de 2019
Cidades em Foco
Educação Geral

Sinte pedirá o bloqueio de contas de prefeituras que não pagar o piso nacional dos professores

A direção do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí (Sinte-PI) teve uma audiência ontem no Ministério Público Estadual e informou que pretende pedir o bloqueio das contas das prefeituras que se recusarem a pagar o valor do piso nacional dos professores que foi reajustado de R$ 1.917,78 para R$ 2.135,64. A presidente do Sinte-PI, Odeni Silva, e a assessoria jurídica do sindicato discutiram com o promotor Fernando Santos que medidas podem ser adotadas contra os prefeitos.

Ela disse que as regionais do sindicato vão fiscalizar e monitorar as finanças dos municípios e ingressar com as ações judiciais. “Estamos falando de uma Lei Federal (que fixou o piso nacional do magistério), e o descumprimento é crime. Portanto, vamos ingressar na Justiça, porque sempre no início do ano os prefeitos sabem que tem esse reajuste, com data certa”, argumentou. “Quem não pagar vamos pedir o bloqueio das contas. Não vamos discutir o pagamento do piso. A lei já estabelece isso”.

Ela lembrou que também tem o reajuste do custo/aluno no valor repassado pelo Fundeb (Fundo de Desenvolvimento do Ensino Básico e de Valorização do Magistério). “Os prefeitos também sabem que os municípios ou estados que não têm como pagar o valor estipulado podem recorrer à União para complementar o valor. Isso está previsto em lei”, explicou Odeni Silva. “Quem não tiver condições, que recorra ao Governo Federal”.

Para o Sinte-PI, o discurso da Associação Piauiense dos Municípios (APPM) que a maioria dos prefeitos não têm como pagar o reajuste do salário mínimo e o piso nacional dos professores é uma enganação. “O percentual é repassado no valor do custo por aluno e não tem desculpa. Estamos orientando os professores a se mobilizarem nos municípios para fazer os prefeitos cumprirem o reajuste”, adiantou.

Segundo ela, o Sinte vai patrocinar as ações judiciais contra os prefeitos dos municípios que não estiverem pagando o piso. “Temos representantes em todos os municípios e temos 27 núcleos regionais para fazer a fiscalização e o monitora-mento destes pagamentos. Já mandamos os recados para os prefeitos e para o Governo do Estado”, afirmou. a nota.

Diário do Povo

Notícias relacionadas

SIMÕES: Prefeito lança Campeonato Municipal com dez times e R$ 15 mil em prêmios

Junior Oliveira

Instalação de fábrica em Queimada Nova e Lagoa do Barro vai fortalecer produção de energia eólica no PI

Junior Oliveira

Mulher é agredida a pedrada pelo marido em Paulistana. Confira!

Junior Oliveira

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais