22.7 C
Piauí
9 de agosto de 2022
Cidades em Foco
EsportesGeral

Sob suspeita, Neymar é intimado a mostrar documentos de transferência

Após disputar as duas primeiras partidas da Copa América e receber gancho de quatro jogos da Conmebol, Neymar ficou fora do restante da competição e foi liberado para voltar a sua casa no Guarujá, litoral sul de São Paulo. Mas o atacante ainda não poderá curtir tranquilamente as férias. Nesta quarta-feira, o astro do Barcelona e seu pai receberam intimação judicial para apresentar os documentos de sua transferência do Santos ao clube catalão para a Terceira Estrela Investimentos (Teisa), detentora de 5% de seus direitos à época da negociação.

A decisão da juíza Thaís Coutinho, da 11ª Vara Cível de Santos, foi tomada na terça-feira, mas foi publicada apenas nesta quarta. A queixa da Teisa vem na esteira de denúncia do Grupo DIS, que foi acatada pela Justiça espanhola na última semana. O fundo de investimentos gaúcho, que tinha 40% dos direitos econômicos do jogador em maio de 2013, reclamou de fraude nos valores dos contratos assinados entre o atleta e o Barcelona.

Ambos os fundos se queixaram de ter recebido sua porcentagem sobre um valor abaixo daquele pelo qual a venda efetivamente teria sido acertada. As empresas tiveram suas partes calculadas sobre o valor de 17 milhões de euros (cerca de R$ 44,2 milhões, na cotação da época), montante pago pelos catalães ao Santos. Mas o valor total desembolsado pelo Barcelona na transação foi de 86,2 milhões de euros (R$ 224,2 milhões).

Em valores corrigidos e atualizados, a Teisa teria direito a receber aproximadamente R$ 15 milhões caso a fraude seja comprovada. O DIS, por sua vez, reivindica cifra de aproximadamente R$ 89,6 milhões, equivalente aos 40% a que tinha direito na transação.

Além das denúncias de ambos os fundos, Neymar também é alvo direto de investigação da Justiça espanhola. Seu pai, dono de empresa que teria levado R$ 140 milhões na transferência, e ele, além do presidente do Barcelona, Josep Maria Bartomeu, e do ex-mandatário Sandro Rosell, tem suas atividades na transação apuradas por suspeita de fraude e corrupção.

O Santos, por sua vez, também pede apuração clara da negociação. O clube foi à Fifa em maio pedindo ressarcimento por danos sofridos na negociação, e agora acompanha atentamente também o trâmite na Justiça comum – tanto brasileira quanto espanhola.
Fonte: Yahoo

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais