24.5 C
Piauí
25 de novembro de 2020
Cidades em Foco
Economia Geral Internacional

Soja fez PIB do Piauí crescer acima da média nacional, afirma IBGE

Apesar da crise mundial, que já afeta a rotina dos piauienses se fala em crescente nos números de colheita da soja em 2020. “Estamos em meio a colheita à previsão é de uma safra recorde para o Piauí devemos ultrapassar mais uma vez as safras anteriores e não podemos deixar de trabalhar, não podemos tirar isso do campo para não deixar as cidades desabastecidas”, disse Alzir Neto presidente da Aprosoja do Piauí. O presidente da Aprosoja Piauí frisa que com essa logística não deverá faltar alimento nas prateleiras dos supermercados, mas que internamente os cuidados com os funcionários estão redobrados. “Com essa preocupação com as pessoas, mas também de não poder deixar faltar o alimento no supermercado e nas mesas das famílias continuamos nosso trabalho com bastante cautela. Fechamos as porteiras, recomendamos aos funcionários a higiene pessoal e não compartilhamento de objetos pessoas e uma série de medidas importantes para vencermos essa luta”, acrescentou Alzir Neto. Por: Pâmella Maranhão

O Piauí está entre os três estados brasileiros em que a soja fez a economia crescer acima da média nacional nos últimos 20 anos e é o único representante do Nordeste nesta estatística. Além do Piauí, também tiveram a soja como principal fonte de crescimento econômico, no período, o Tocantins e o Mato Grosso. A constatação é do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística).

Segundo os dados das Contas Regionais do IBGE desde 2002, quando começa a série histórica, a 2018, o Mato Grosso foi o Estado com o maior crescimento econômico, com avanço médio de 5,1% ao ano. Em seguida, vêm Tocantins (4,9%), Roraima (4,2%) e Piauí (4,1%). O Produto Interno Bruto (PIB) nacional cresceu em média 2,4% ao ano no período.

 O Governo do Piauí apresentou ontem  (16), os resultados do Produto Interno Bruto (PIB) de 2018. O PIB, que é a soma das riquezas produzidas em uma região foi de R$ 50,4 bilhões, um crescimento nominal de 11% em relação a 2017, o 3º maior em crescimento do Nordeste e o 12° maior do Brasil, mas o destaque para o Agronegócio não foi ressaltado. 

Apesar do crescimento e da contribuição do setor com a economia do estado o poder público no Piauí ainda não conseguiu ser um grande parceiro capaz de alavancar os grandes investimentos que a região do Cerrado piauiense precisa para contribuir ainda mais com a geração de empregos e renda da região. Ainda faltam estradas e políticas de atração de indústrias do setor, a região por exemplo não possui uma agroindústria.

Na avaliação do presidente da Aprosoja Piauí (Associação dos Produtores de Soja do Piauí), Alzir Neto, todo o resultado positivo que o setor tem trazido para o Piauí é de responsabilidade dos agricultores e dos pequenos empresários das cidades do Cerrado.

Um exemplo da falta de prioridade em relação aos investimentos públicos na região é o de que se concentra na capital Teresina o maior investimento público por habitante enquanto cidades da região do Cerrado estão no final da lista no ranking dos investimentos, dado levantado pela própria Fundação Cepro (2013-2017).

“O crescimento e desenvolvimento do estado do Piauí é intrinsecamente relacionado ao setor privado, sobretudo, ao Agronegócio, em especial a cadeia da soja nos cerrados. O diagnóstico para continuar crescendo e impulsionando a economia seria investir em infraestrutura e criar políticas que gerem segurança jurídica, consolidando o programa fundiário e estimulando a agroindústria”, ressalta.  Estado da Embrapa realizado em 2004, que analisou a cadeia de geração de empregos na agroindústria da soja verificou que a cada emprego direto gerado são gerados seis indiretos.

[email protected]

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais