24.9 C
Piauí
23 de setembro de 2021
Cidades em Foco
Geral Polícia

Suspeito de participar de tiroteio é preso com armas e grande quantidade de munições no Piauí

Armas e munições encontradas na casa do suspeito em Parnaíba — Foto: Divulgação /PM-PI

Um homem identificado como Geones de Carvalho Santos foi preso na tarde desta quinta-feira (9) em Parnaíba, Litoral do Piauí, com uma motocicleta roubada, armas e mais de 70 munições. Ele é suspeito de ter participado de um tiroteio nesta madrugada no bairro Ilha Grande de Santa Isabel, motivado pela disputa de facções criminosas.

O tenente Paulo Roberto, do 2º Batalhão da Polícia Militar do Piauí, contou que a corporação foi acionada através de uma denúncia anônima sobre o tiroteio. “Tivemos conhecimento que até tentaram incendiar a casa de uma pessoa. Nossas equipes se deslocaram para o local e lá encontraram muitas cápsulas deflagradas”, comentou.

Motocicleta é apreendida pela PM em Parnaíba, litoral do Piauí — Foto: Luiz Gustavo /TV Clube

Motocicleta é apreendida pela PM em Parnaíba, litoral do Piauí — Foto: Luiz Gustavo /TV Clube

Testemunhas do tiroteio informaram que Geones havia sido um dos participantes. Os policiais, então, foram até a casa do suspeito e encontraram os materiais apreendidos. “Achamos dois revólveres, uma espingarda, uma pistola muitas munições de 380, .40, calibre 44”, disse o tenente Paulo Roberto.

O homem foi encaminhado para a Central de Flagrantes onde foi autuado. Segundo a polícia, ele possuía envolvimento com o tráfico de drogas na região.

Violência no bairro

Um crime ocorrido na noite da terça-feira (7) chocou os moradores de Ilha Grande de Santa Isabel. Everaldo Santos da Costa, 42 anos, foi morto com pelo menos 20 tiros enquanto trabalhava monitorando um pula-pula na praça do bairro.

A auxiliar de cozinha Janice de Carvalho Santos, esposa de Everaldo Santos, falou sobre os momentos de pânico que viveu ao presenciar o assassinato do companheiro.

Celular que estava com Everaldo Santos da Costa, 42 anos, no momento em que ele foi morto — Foto: Reprodução

Celular que estava com Everaldo Santos da Costa, 42 anos, no momento em que ele foi morto — Foto: Reprodução

“Eu esperei meu menino chegar para ajudar ele a desmontar [o pula-pula]. Antes do meu filho descer da bicicleta, os homens chegaram e começaram a disparar. Ele [Everaldo] tentou entregar o celular e eu pedia, pelo amor de Deus, que eles não fizessem aquilo. O Everaldo não merecia, ele não era envolvido com nada”, contou.

Fonte: G1-PI

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais