25.9 C
Piauí
3 de abril de 2020
Cidades em Foco
Geral Polícia

Teresina registra o 36º assalto a ônibus em menos de dois meses, diz Sindicato

Foto: arquivo/Cidadeverde.com

Teresina registrou nesta quarta-feira (26), o 36º ônibus assaltado somente no ano de 2020, afirma o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rodoviários (Sintetro), Fernando Feijão. O último assalto ocorreu hoje, por volta das 12h30, na Avenida Miguel Rosa. Os assaltantes chegaram a desviar a rota do veículo para dar andamento ao roubo.

“Nós fomos assaltados dentro do ônibus Lourival Parente. Os bandidos entraram no início da (avenida) Miguel Rosa. Um estava armado. Eu estava na última cadeira do ônibus, mas quem estava na frente, eles levaram tudo”, disse uma das passageiras.

Um idoso que estava dentro do ônibus no momento da ocorrência ficou nervoso e quase passou mal. Os assaltantes “abandonaram” o ônibus no Terminal Rodoviário Lucídio Portela.

“Essa é a situação do transporte público de Teresina. Os passageiros aqui no terminal rodoviário, todos revoltados. Os caras assaltaram o carro, tiraram ele da linha, fizeram um arrastão”, disse outro passageiro. .

Protesto

Fernando Feijão ressaltou que os motoristas e cobradores farão um protesto na próxima sexta-feira, dia 28, atrasando a saída dos ônibus dos terminais para chamar a atenção da gravidade.  “Temos vários Boletins de Ocorrência” que confirmam a quantidade de assaltos, disse.

Em entrevista ao Jornal do Piauí, o comandante geral da Polícia Militar, coronel Lindomar Castilho, respondeu ao telespectador Antônio, do bairro Santa Fé, que questionou os recorrentes assaltos no transporte coletivo.

O coronel afirmou que as vítimas precisam acionar a Polícia Militar e registrar o Boletim de Ocorrência. Acionando viaturas da PM é possível prender ainda em flagrante os assaltantes.

O comandante disse que acompanhou no noticiário a contabilidade das ocorrências pelo sindicato. “Mostraram, inclusive, que em 72 horas, teve algo em torno de oito registros. Eu tive o cuidado de olhar o Copom (Centro de Operações Policiais Militares) quantas chamadas houve em relação a esse tipo de ocorrência, e tinha uma. Nesse período que falaram de 72 horas, no nosso sistema a PM só tomou conhecimento de uma”.

Durante a entrevista, o comandante chegou a pedir que os representantes do sindicato compareçam ao Quartel do Comando Geral para uma reunião para que sejam repassados detalhes sobre os assaltos.

Carlienne Carpaso / CidadeVerde

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais