25.2 C
Piauí
20 de agosto de 2022
Cidades em Foco
Betânia do PiauíGeralMunicípios

Três anos depois do sonho, como vive a população de Betânia do Piauí iluminada pela Coca-Cola

Um comercial nas vésperas do Natal de 2012 emocionou boa parte do Brasil. Crianças e adultos da comunidade Suspiro (em Betânia do Piauí, a 511 quilômetros de Teresina) falavam sobre o que esperavam do Papai Noel e do Natal. A maioria sequer sabia o que era o “Bom Velhinho” e o significado midiático do Natal.

O comercial era do refrigerante da marca Coca-Cola e foi exibido em rede nacional. Emocionou muita gente pela pureza dos depoimentos, simplicidade dos personagens, qualidade das imagens, além de alimentar a esperança de novos dias para aquela comunidade.

betania COCA-COLA-SUPER-MANCHETE-04

Suspiro é símbolo de um Piauí que em pleno Século XXI padece (como em muitas outras regiões do estado) na falta de energia elétrica nas residências. Fica a 15 quilômetros da zona urbana de Betânia do Piauí e pouco menos de cinco quilômetros da divisa Piauí-Pernambuco. É uma das tantas comunidades pobres, isoladas e ainda sem energia elétrica na região sertaneja piauiense. Mais distante ainda fica de ser lembrada pelas autoridades. Só saiu do anonimato por causa desses comerciais de Natal.

Comunidade do Sertão do Piauí escolhida para ser protagonista de comercial. Foto: Reprodução YouTube

Em 2012 era uma entre as tantas comunidades de Betânia do Piauí, a época o município menos eletrificado do estado e um dos com menores números de residências interligadas à energia elétrica no País. Um lugar perfeito para ser o mote de um dos comerciais mais caros e bem produzidos daquele ano. É tanto que ainda hoje é lembrado por muita gente.

Quase três anos depois da exibição do comercial o quê de fato mudou no Suspiro? E o Natal Iluminado, prometido pela propaganda da Coca-Cola, parece que ficou para este ano ou para os próximos? E os moradores símbolos do comercial? Como estão? Principalmente as crianças? O que têm feito? O que têm sonhado? O que a Coca-Cola prometeu foi cumprido? Quando? Foi atrás dessas e de outras respostas que a reportagem de O Olho cruzou o Piauí de Leste a Oeste indo visitar Betânia do Piauí e mostrar o Suspiro além do comercial da marca de refrigerante.

OS COMERCIAIS QUE EMOCIONARAM PARTE DO BRASIL

Várias versões do comercial da Coca-Cola sobre o Natal em Suspiro podem ser encontradas no YouTube (site de compartilhamento de vídeos). Dois deles foram os exibidos em rede nacional. O primeiro conta um pouco a realidade de Suspiro e o segundo mostra a chegada do Papai Noel à comunidade sertaneja.

O comercial que primeiro chamou a atenção dos brasileiros foi exibido desde o final de novembro de 2012, durante várias semanas que antecederam o Natal daquele ano. Tratava de como viviam as crianças que estudavam (e ainda estudam) na escola da comunidade. Apresenta também as 15 crianças (cada uma com um estilo) e suas formas de ver o Natal. Traz também dois adultos. Tudo muito bem trabalhado e pensado. Cada segundo feito para emocionar. Terminava chamando para o segundo comercial, exibido no domingo que antecedeu o Natal daquele ano.

 

Papai Noel da Coca Cola. Foto: Reprodução YouTube

O outro, de mais de três minutos, exibido em um intervalo inteiro do programa Fantástico, da TV Globo (o minuto publicitário mais caro da televisão brasileira) brilhou nas televisões brasileiras do dia 23 de dezembro de 2012. Mostrava um resumo do primeiro e a emoção dos moradores do Suspiro em ver o Papai Noel. O “Bom Velhinho” fez nevar, encantou crianças e distribuiu presentes. Além disso deixava claro que a Coca Cola iria presentear a comunidade de Betânia do Piauí.

Depois dessa data o Papai Noel, ao menos nos moldes do apresentado pelo comercial não apareceu mais em Suspiro. O prometido Clube da Felicidade só foi inaugurado há menos de dois meses e até hoje está incompleto. O Natal Iluminado só ocorreu no dia da gravação do comercial. Suspiro continua sem energia elétrica e mesmo tendo a prometida quadra poliesportiva, parque infantil e mini-praça inaugurados, o único bico de luz que funciona no lugar é alimentado por uma bateria de veículo.

JÁ CONHECERAM O PAPAI NOEL, MAS CONTINUAM TOMANDO COCA QUENTE 

Cinco das 15 crianças que participaram do comercial da Coca-Cola no Sertão do Piauí falaram com a reportagem de O Olho. Elas, e dezenas de outros moradores do Suspiro e entorno, relataram primeiro como é continuar vivendo sem energia elétrica e como é conhecer o Papai Noel (ao menos o do comercial da TV) e continuar tomando refrigerante quente, água de pote e raramente ver televisão.

Computador? Só em sonho. E celular, somente os de poucas casas que contam com sistema de telefonia rural. Nenhum menor de idade da comunidade tem celular. E smartphone é um aparelho tão raro quanto chuvas em período de seca.

Crianças do comercial da Coca Cola. Iluminação por candeeiro.

José Iandro Rodrigues de Macêdo, 9 anos, Hélio José Rodrigues, 10 anos, Herciliana Coelho Rodrigues, 9 anos, Janikelly Cavalcante de Macêdo, 9 anos, e Andreilson Carvalho Rodrigues, 11 anos, ainda motivados pela mesma ingenuidade do comercial, falaram sobre tudo o que lhes foi perguntado. Janikelly, assim como na propaganda, era a mais falante. José Iandro, o mais simples e tímido.

“A gente continua tomando Coca-Cola, mas é sempre quente”, falou a ainda franzina Janikelly, que vive na comunidade Deserto, ao lado do Suspiro.

Perguntados por que o Papai Noel não voltou à comunidade eles acham que é porque ele morreu do coração. Informados que o “Bom Velhinho” não morreu pediram que ele volte e traga mais presentes, pois os presentes dados em 2012 já foram todos quebrados. Até as bolas trazidas já estão furadas. “Coisa de menino danado”, comentou Andreilson Rodrigues.

Utensílios ligados ao futebol, como bolas e chuteiras, povoam os pedidos dos meninos. As meninas são mais tecnológicas. Janikelly quer um computador. Herciliana gostaria de um celular. As duas têm energia em casa, mas via bateria solar. Somente a segunda tem TV em casa. Vê muito pouco porque a bateria não dura muito tempo.

José Iandro não vê TV porque não tem em casa e não se interessa em ir para residências de pessoas de comunidades próximas, já beneficiadas por energia elétrica. Herciliana também não vê, mas, vez por outra, vai para a casa de pessoas próximas para ver novela. A novela da Globo, das 19h, é a preferida entre eles, seguida de Pica-pau e novelas mexicanas. Lamentaram pelo fim do folhetim mexicano Maria Esperança.

As crianças relatam que todas estudam na quarta série do primário (hoje equivalente ao quinto ano). Nenhum deixou de estudar no lugar em que foram feitas as gravações do comercial.

Falam que estão muito felizes com a quadra. Eles e, principalmente os adultos, lamentam pela quadra não poder funcionar à noite. Mesmo assim a luz da Lua constantemente é o grande iluminador das partidas de futebol na região.

O aposentado Bento José Rodrigues, 69 anos, outro dos personagens do comercial, continua sorridente e de uma simplicidade a dar inveja a monge. Diz continuar acreditando no Papai Noel mas é quando fala no Clube da Felicidade, lugar mote do presente da Coca-Cola que mais emociona, principalmente em um dia poder ter energia elétrica em sua comunidade.

OS NOVOS SONHOS DAS CRIANÇAS DO SUSPIRO

Mas Andreilson, Janikelly, Herciliana, Hélio e José continuam esperançosos e sorridentes, além de simpáticos e educados. Seus principais sonhos ainda mantém a inocência de quem raramente vê TV e de quem têm uma realidade mais próxima da própria comunidade.

O lugar mais distante que já foram foi a cidade de Paulistana (município que deu origem à cidade de Betânia – pouco mais de 70 quilômetros daquela comunidade).

José Iandro e os sonhos de Papai Noel no comercial que emocionou parte do Brasil. Foto: Reprodução YouTube

Os sonhos do quinteto ainda são infantis. Não falam de namoro, muito menos de vídeo-game e apetrechos tecnológicos tão comuns a crianças das zonas urbanas. Incentivados por algumas mães que queriam que eles falassem sobre o sonho ser de energia elétrica, eles foram mais simples e pediram bens menos caros.

Alguns mostravam os candeeiros (instrumentos para iluminar no escuro) ou lanternas que os guiavam pelas veredas da noite sertaneja do dia da entrevista. Olhavam e tentavam iluminar a quadra feita pela Coca-Cola, com direito a postes de iluminação, mas com tudo apagado porque na comunidade ainda não há energia elétrica.

Papai Noel que fez nevar no Sertão do Piauí mas que ainda não trouxe energia elétrica. Foto: Reprodução YouTube

CLUBE DA FELICIDADE FICOU PRONTO DOIS ANOS E MEIO DEPOIS

O ponto máximo da visita do Papai Noel da Coca-Cola à comunidade Suspiro era o Clube da Felicidade. Inclusive uma miniatura foi mostrada no comercial que tornou a comunidade conhecida em todo o Brasil.

Clube da Felicidade às escuras

E por que demorou tanto? Foi essa a pergunta feita à Coca-Cola. A empresa Textual, que faz o serviço de assessoria de comunicação para a fabricante de refrigerante, contatada pela reportagem de O Olho, destacou que a “Coca-Cola entregou, em junho de 2015, uma quadra poliesportiva para a cidade de Betânia e para a comunidade de Suspiro, no Piauí. O desafio foi grande. A obra era de difícil execução, já que a cidade mais próxima com infraestrutura e com capacidade de entrega de materiais e maquinário fica a 236 km de distância. A Coca-Cola cumpriu a sua promessa, presenteando a população com uma área de recreação, parque, banheiros e espaço para a prática de esportes”.

A assessoria ainda enviou um dos vídeos da campanha e não mais comentou sobre a questão da falta de energia elétrica. A assessoria de Comunicação da Eletrobrás Piauí frisou que até o final de 2016 todas as comunidades do Piauí terão energia elétrica e questionou porque a Coca-Cola não colocou sistema de energia solar para iluminar a quadra poliesportiva do Suspiro.

OS BASTIDORES DO COMERCIAL DA COCA COLA NO SERTÃO DO PIAUÍ

O comercial da Coca Cola na comunidade Suspiro foi gravado durante oito dias. Uma equipe de produção ficou na região entre 01 e 08 de novembro de 2012. Diariamente eles percorriam os 72 quilômetros que dividem Paulistana (onde estavam hospedados) da zona rural de Betânia do Piauí.

Promessa do Papai Noel da Coca Cola. Foto: Reprodução do YouTube

Os pouco menos de cinco minutos exibidos em dois comerciais na televisão (um deles pensado exclusivamente para um intervalo inteiro do Fantástico) e os menos de 15 minutos que estão em cinco vídeos no YouTube foram fruto de mais de 50 horas de gravação. Os trabalhos envolveram quase 50 pessoas da produção, a maioria do Sudeste. Quase outras cem pessoas das comunidades do entorno participaram como personagens ou figurantes.

O comercial foi pensado pela empresa de publicidade de São Paulo WMcCann (do publicitário Washington Olivetto – um dos mais reconhecidos do mundo). As filmagens foram realizadas pela Conspiração Filmes(também de São Paulo), uma das melhores produtoras de audiovisual das Américas, principalmente em captações de imagens envolvendo temáticas mais sociais.

Equipe de filme de Holywood para gravar em pleno Sertão do Piauí. Foto: O Olho Imagens

O resultado foi, ao menos no mundo da Publicidade – especializada em fabricar sonhos – um material digno de cinema. Os vídeos de Suspiro estão em várias línguas e até hoje fazem sucesso no YouTube. Na época também foi criado um site em que as pessoas podiam mandar mensagens de Natal para os moradores de Suspiro. Atualmente não existe mais.

MAS POR QUE O SUSPIRO? NEVE, PAPAI NOEL E BOATOS

A comunidade Suspiro foi escolhida mediante série de levantamentos na região do Sertão Central piauiense. A cidade de Betânia do Piauí já tinha sido pré-eleita por na época ser uma das menos energizadas do Brasil. Somente cerca de 15% das residências da cidade tinham acesso à energia elétrica.

Carreta da Coca Cola transpassando as estradas do Sertão de Betânia do Piauí. Foto: O Olho Imagens

Como o mote da campanha publicitária natalina daquele ano era “Um Natal Iluminado” procurar uma comunidade pobre, às escuras e “no fim do Mundo” era o ideal para apresentar o Natal e, consequentemente, o Papai Noel e publicizar a Coca Cola, famosa por fazer comerciais tidos como sensíveis nessa época do ano.

Em outubro de 2012 uma equipe de produção esteve em Betânia do Piauí e andou em comunidades carentes da zona rural. Três chamaram atenção. Suspiro foi escolhida por ter um espaço para possível construção de alguma obra, ter uma escola com muitas crianças e, principalmente, padecer da falta de energia elétrica.

Momento da gravação em que nevou no Sertão do Piauí. Foto: O Olho Imagens

A equipe também queria saber se a prefeitura da cidade daria alvará para a realização da campanha publicitária e ainda se garantiria trâmites burocráticos. Fatos feitos com muita agilidade à época.

“Eles foram embora e não queriam dizer realmente o que iriam fazer. Disseram que não garantiriam nada da gravação e que nos contatariam por e-mail ou telefone”, destacou o auxiliar administrativo Luciel da Silva Rodrigues, 28 anos, um dos primeiros a ser contatados na cidade pela equipe a serviço da Coca Cola.

Produção deu um jeito de iluminar a não iluminada Suspiro. Foto: Reprodução YouTube

“Desde o início eles falaram que apenas não poderia ser possível colocar energia elétrica, pois isso só quem poderia fazer era o Governo Federal”, destacou Luciel Rodrigues. “Mas que fariam muito por nossa comunidade”, complementou.

Dias depois, ainda em outubro de 2012, a produção da Coca-Cola mandou e-mail perguntando se o dono do terreno doaria para a prefeitura e a prefeitura passaria para a fabricante de refrigerantes e em novembro vieram fazer as filmagens. Tudo foi confirmado.

Muito mistério tomou conta da possível vinda e somente quando as gravações eram executadas que foi dito que tudo seria para um comercial do refrigerante.

A promessa. Foto: Reprodução YouTube

Mas a notícia se espalhou pela região. E um boato atrapalhou muito as gravações. Destacava-se que o cantor Leonardo faria um show na cidade, tudo patrocinado pela Coca Cola. Pessoas se deslocaram para a região de Suspiro no dia da gravação principal: a chegada do Papai Noel. As suspeitas aumentavam porque, para a carreta do “Bom Velhinho” chegar ao Suspiro foi ampliada a estrada e também o veículo foi visto na região.

Fizeram até neve artificial. Esse foi o dia que o Sertão do Piauí viu nevar.

O tumulto foi tanto que no dia da gravação com o Papai Noel a região foi isolada e somente moradores poderiam transitar nas imediações.

Seu Bento: assim como no comercial da Coca-Cola – espera sentado por energia elétrica. Foto: Reprodução YouTube

Por conta dos tumultos no dia 09 de novembro (um dia depois do término das gravações em Suspiro) a carreta da Coca-Cola ficou em Betânia do Piauí e à noite o personagem do Papai Noel se apresentou para quase 4.000 pessoas com farta distribuição do refrigerante.

O dia da inauguração do Clube da Felicidade, em 1º de junho deste ano (exatos 934 dias depois que o Papai Noel esteve lá), foi menos concorrido que o dia da gravação. Menos de cem pessoas estiveram presentes ao evento. O prefeito da cidade e dois vereadores foram à solenidade. Da Coca-Cola não veio ninguém.

Mas era nítido a alegria das crianças, as mesmas que continuam varando noites sob a luz da Lua na jogando futebol e brincando na pracinha do Clube da Felicidade, também denominada José Seriano Rodrigues, fundador do Suspiro. Talvez tantas crianças estivessem ali à espera de outro milagre de receberem do Papai Noel a tão desejada luz elétrica. Por enquanto suspiram por essa chance!

 

Fonte: O Olho

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais