Vereadores de Jacobina discutem PL por cerca de três horas em sessão extraordinária e aprovam por unanimidade

Seria mais proveitoso ter discutido sobre como evitar o derretimento das calotas polares.

A Câmara municipal de Jacobina do Piauí – PI, realizou sessão extraordinária nesta segunda (27), devido a necessidade de aprovação do Projeto 017/2017, que doa a área urbanizada na sessão de sábado (25), para a Associação de Moradores de Fundo de Quintal – DF, que tem como presidente a Sra. Nilda Vitorina de Almeida, a  referida associação é responsável pela construção de casas populares em diversos municípios.

A sessão que estava prevista para iniciar às 20h:00min, teve início somente às 20h:38min, mesmo chegando atrasados todos os vereadores compareceram à sessão.

O presidente da augusta casa, Jailson Rocha deu inicio aos trabalhos e deixou o espaço aberto para discussão do projeto em epígrafe.

O que era para ser uma reunião simples, digo isso por que o projeto simplesmente autoriza o poder executivo a doar uma área de 4,0ha para uma associação do Distrito Federal, que é responsável pela construção de casas populares em diversos municípios do Piauí, e se por ventura no prazo de 2 anos não iniciar a construção ou haver desvio de finalidade, o referido terreno é reintegrado ao patrimônio público do município, conforme o projeto.

Alguns vereadores discutiram o óbvio por cerca de três horas, o que tornou uma sessão extremamente cansativa e repleta de vãs repetições.

Depois de algum tempo o chefe do executivo, Gederlânio Rodrigues, o GD, compareceu à sessão para sanar todas as dúvidas de alguns vereadores. Isso foi necessário devido a urgência na aprovação do projeto.

O prefeito perguntou a cada vereador quais eram suas dúvidas e respondeu à todos de forma precisa e direta, o que culminou na aprovação do projeto por unanimidade.

Prefeito Gederlânio Oliveira, o GD.

Editorial:

Já houve outros projetos polêmicos, todavia, foram aprovados sem a necessidade de polemizar. O Projeto 017/2017 trata-se de um projeto simples, e infelizmente alguns vereadores escolheram o projeto errado para fazer polêmica, digo isso por que apreciei o projeto duas vezes ao chegar na Casa Legislativa, e o mesmo estava apenas dando continuidade ao processo da suposta aquisição de casas populares para os munícipes, que teve início através do projeto de urbanização aprovado na sessão anterior, justamente para fazer a doação descrita no PL 017/2017. Em resumo o município estava sendo preparado para pleitear as casas populares. Entretanto mesmo o município não tendo sido contemplado alguns vereadores já estavam discutindo detalhes da construção ou quem seriam os beneficiados, algo que é de responsabilidade da assistência social, que usará os critérios estabelecidos em legislação vigente, isso caso o município seja contemplado e a partir daí, qualquer vereador poderá fiscalizar  quem serão os beneficiados, isto é, se realmente se enquadram.

Portanto, seria mais proveitoso ter discutido durante às três horas, sobre como evitar o derretimento das calotas polares. Aquela imensidão de gelo e neve que cobre milhões de quilômetros quadrados nos pólos Sul e Norte. Que estão derretendo através do aquecimento global, e para evitar isso, discutir uma forma para tapar o buraco da camada de ozônio durante a sessão extraordinária, seria mais proveitoso do que polemizar um projeto simples!

Algumas imagens da sessão:


Compartilhar:

Por: Fernandes Neto

Jornalista, MTb n°1840PI, Contador e Teólogo, Especialista em Tipologia.