25.9 C
Piauí
3 de abril de 2020
Cidades em Foco
Educação Geral Política

Wellington Dias não dá reajuste e professores mantém greve no Piauí

Na manhã desta terça-feira (18) professores da Rede Estadual de Ensino da região de Picos participaram de uma manifestação e saíram em caminhada pelas principais ruas do Centro da Cidade.  O movimento tem à frente o Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Piauí – Regional de Picos (SINTE-PI.

A categoria iniciou uma greve geral desde o dia 10 de fevereiro e não tem previsão de retorno à sala de aula. Os professores reivindicam do Governo do Estado, o pagamento do reajuste do piso salarial de 2019 e 2020 – porcentagem garantida por lei pelo Governo Federal.

O professor de ciências da natureza da Rede Estadual de Ensino, em Picos, José Wilson, já trabalha em sala de aula há 27 anos e diz que vê com tristeza o tratamento do governador Wellington Dias com os professores da rede pública, segundo ele, todos os anos os profissionais lutam pelo reajuste.

Professor de ciências da natureza da Rede Estadual de Ensino, em Picos, José Wilson

A professora de língua portuguesa, Adnaid Rufino, disse que a greve vai continuar até o governador negociar com a categoria.

A professora aposentada Fátima Pinheiro diz que desde quando Wellington Dias assumiu seu primeiro mandato como governador, tem tirado os direitos dos professores piauienses. Ela destaca ainda as propostas dadas pelo governo, que exclui os professores aposentados. A professora disse ainda que na manifestação realizada ontem (17) em Teresina, ela chamou cinco deputados de Picos para participarem, mas nenhum compareceu.

A presidente do Sinte regional de Picos, Gisele Dantas, destacou que a categoria está unida e que a greve está crescendo. Ela destaca que em 2019 os professores não deflagraram greve esperando que o governador cumprisse com a lei do piso, mas o reajuste não foi feito.

A COMUNICAÇÃO DO GOVERNO DO PI ENCAMINHOU UMA NOTA SOBRE  O REAJUSTE:

O Governo do Estado informa que enviou, na última segunda-feira (17), para a Assembleia Legislativa do Piauí (Alepi), o projeto de lei que legisla sobre o reajuste salarial e a política de vencimentos dos professores da Rede Estadual de Ensino. Com a medida, 95% dos professores piauienses receberão entre R$ 3.750 e R$ 7.082, um reajuste de 4,17%, mais auxílio alimentação de 4,31%. O valor fica bem acima do piso nacional do magistério que é de R$ 2.886.
 
O novo piso estadual deve entrar em vigor a partir do mês de maio, prazo necessário para que o valor se adeque à Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF), que limita gastos do executivo com folha de pessoal estabelece um limite prudencial de 46.55% do Orçamento do Estado.
 
 

Com informações e fotos: Grande Picos

Notícias relacionadas

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Se você está de acordo, continue navegando, aqui você está seguro, mas você pode optar por sair, se desejar. Aceitar Leia mais